You are on page 1of 5

Estudo dirigido de Processo Civil.

Ref. Execução e cumprimento de sentença.

01. O que significa “execução” no processo civil?
R: Execução significa a ação e o efeito de executar.
A execução pressupõe uma obrigação sob a qual não pairam incertezas quanto a sua
existência e titularidade, cabendo ao Estado forçar aquele que tem o dever de cumpri-la a fazêla. Constitui-se de três elementos: obrigação impassível de discussão (título executivo), o titular
desta (exequente) e aquele que deve cumpri-la (executado).

02. O que significa “cumprimento de sentença”?
R: após a prolação da sentença comumente condenatória, abre-se uma nova fase para o
adimplemento da obrigação nela determinada, chamada cumprimento de sentença.

03. Explane acerca da responsabilidade patrimonial do devedor. Quais as exceções à
regra geral e onde elas estão fundamentadas no Código de Processo Civil?
R: Responsabilidade patrimonial consiste na situação de sujeição à atuação da sanção. É a
situação em que se encontra o devedor de não poder impedir que a sanção seja realizada
mediante a agressão direta ao seu patrimônio. Traduz-se na destinação dos bens do devedor a
satisfazer o direito do credor.”
A responsabilidade patrimonial está disciplinada nos artigos 591 a 597 do CPC. Vejamos:
Art. 591. O devedor responde, para o cumprimento de suas obrigações, com todos os seus
bens presentes e futuros, salvo as restrições estabelecidas em lei.
Entretanto, poderão ocorrer situações fáticas que ensejem a responsabilidade patrimonial de
terceiros, conforme abaixo se dispõe:
Art. 592. Ficam sujeitos à execução os bens:
I - do sucessor a título singular, tratando-se de execução fundada em direito real ou obrigação
reipersecutória;
II - do sócio, nos termos da lei;
III - do devedor, quando em poder de terceiros;
IV - do cônjuge, nos casos em que os seus bens próprios, reservados ou de sua meação
respondem pela dívida;
V - alienados ou gravados com ônus real em fraude de execução.

podendo oferecer impugnação. sendo regulado pelos arts. Caso o devedor. uma vez que a alteração do art. 614. Atualmente este meio de defesa não é mais utilizado na execução extrajudicial. no prazo de quinze dias. do CPC). 236 e 237). . desta Lei. sem a necessidade de dilação probatória. em relação ao cumprimento de sentença. expedir-se-á mandado de penhora e avaliação. 475-J a 475M. que eram distribuídos em apenso à ação principal. Contudo. § 1º. 475-J. ou pessoalmente. Os embargos do devedor. 736 CPC permite o ajuizamento de embargos de devedor sem a necessidade de penhora prévia. 475-J.04. Quais as espécies de defesa do executado previstas na legislação pátria? A impugnação: Conforme destaca o CPC a impugnação constitui ato processual que se realiza por meio da apresentação de petição de impugnação. Conforme Art. A exceção de pré-executividade é oferecida mediante petição acompanhada de todos a comprovação das alegações feitas. condenado ao pagamento de quantia certa ou já fixada em liquidação. inciso II. deixar de indicar bens à penhora. na falta deste. não o efetue no prazo de quinze dias. a requerimento do credor e observado o disposto no art. Explique em que consiste a impugnação ao cumprimento de sentença e dê a fundamentação legal. substituindo. como forma de garantir o juízo. o seu representante legal. Como o dispositivo prevê que a impugnação é oferecida posteriormente à lavratura do auto de penhora e avaliação. eventualmente. sendo apresentada nos próprios autos do processo executivo e sem suspender o prazo para impugnação ao cumprimento de sentença. ou. este instituto ainda é aplicável. por mandado ou pelo correio. querendo. também chamados de embargos à execução: é o meio processual de defesa do executado no processo de execução de título executivo extrajudicial. Caso devedor deseje insurgir-se contra o montante exigido pelo credor. a exceção de pré-executividade constitui meio de defesa através do qual o executado pode trazer pontos previamente demonstrados.a garantia do juízo é pressuposto para o processamento da impugnação ao cumprimento de sentença (art. ”O executado impugna nos próprios autos da execução de sentença. deve promover o respectivo depósito. R:A impugnação pressupõe prévia garantia de juízo. estrangeira ou penal condenatória). 05. Salientou-se também que a impugnação ofertada pelo devedor não será apreciada antes do bloqueio de valores do executado que. o montante da condenação será acrescido de multa no percentual de dez por cento e. Exceção de pré-executividade: Desenvolvida pela doutrina e jurisprudência com a finalidade de ser instrumento de defesa do devedor antes da penhora. assim os embargos à execução. concluiu-se pela exigência de garantia do juízo. § 1o Do auto de penhora e de avaliação será de imediato intimado o executado. representando defesa típica do executado quando este estiver submetido ao cumprimento de sentença ou processo de execução (arbitral. na pessoa de seu advogado (arts.

fundamentando sua resposta. III – a sentença homologatória de conciliação ou de transação. Para serem hábeis a aparelhar a via executiva. não fazer. conforme o caso. entregar coisa ou pagar quantia. Quais as medidas são cabíveis para recebimento judicial dos títulos executivos judiciais e extrajudiciais? Na execução de título judicial. 745 algumas hipóteses.O título executivo é o documento representativo de dívida que pode ser objeto de ação executiva. VI – a sentença estrangeira. em quais espécies são classificados? Explane. o meio de defesa utilizado será a impugnação. 08. aos herdeiros e aos sucessores a título singular ou universal. Assim. IV – a sentença arbitral. II – a sentença penal condenatória transitada em julgado. de qualquer natureza. enquanto que na execução de título extrajudicial serão os embargos à execução. homologado judicialmente. O que são títulos executivos e. R:O título executivo é o documento representativo de dívida que pode ser objeto de ação executiva. 585. possui como características fundamentais: Certeza: documento em que se consegue extrair um conteúdo obrigacional. O título executivo é o documento representativo de dívida que pode ser objeto de ação executiva. os títulos executivos devem apresentar três requisitos essenciais. VII – o formal e a certidão de partilha. o legislador entendeu por bem enumerar através do art. IV e VI. exclusivamente em relação ao inventariante. ainda que inclua matéria não posta em juízo. Parágrafo único. Apesar de poder alegar qualquer matéria nos embargos à execução. São títulos executivos judiciais: I – a sentença proferida no processo civil que reconheça a existência de obrigação de fazer. Quais são estes requisitos? Explique. 07. para liquidação ou execução. no juízo cível. . Nos casos dos incisos II. 475-J) incluirá a ordem de citação do devedor. homologada pelo Superior Tribunal de Justiça. 475-N. V – o acordo extrajudicial. O CPC os enumera nos incisos do art. Conforme Art. 06. o mandado inicial (art.

Diferencie. não cabe a execução de obrigações futuras. líquida e exigível. sucintamente. Toda execução parte de um título. sempre a menor onerosidade ao devedor. Com isto.232/2005 Deste modo. caracterizada pelo inadimplemento do devedor após o esgotamento do prazo fixado para a sua satisfação. então. uma que seja o título perde a executividade e o embargante pode. 09. 461-A e 475-I a 475-R. da dívida. a fase executiva. independentemente da origem do título executivo judicial. deverá contar com a exigibilidade no momento de sua execução. ou se este dependa da satisfação de uma prestação cabível ao credor ainda não cumprida. . Princípio do Título: A execução deve embasar-se em um título de obrigação certa. Livro II (artigos 566 a 795) do Código de Processo Civil Cumprimento de sentença: é o início de uma nova fase no mesmo processo em que a decisão foi proferida. Lei n° 11. todos do Código de Processo Civil. o qual constitui um título executivo judicial. outrossim. qualidade. Princípio da menor onerosidade ao devedor: o juiz busca meios para causar menor dificuldade ao devedor ele escolhe o que vai ser penhorado. sem prejuízo da aplicação dos dispositivos atinentes à execução de título extrajudicial quando cabíveis. Os Princípios são: Princípio da autonomia. Exigibilidade: momento em que já ocorreu o termo ou condição que importa o implemento da obrigação. É o que dispõem o artigo 586 do CPC. razão pela qual. o cabimento dos procedimentos de “execução” e o de “cumprimento de sentença”? Execução: deverá estas suficientemente individualizada e determinada no tocante à sua qualidade. cujo prazo de adimplemento ainda não tenha escoado. nos moldes dos artigos 461. etc. Princípio da responsabilidade Patrimonial ou da Realidade:A divida não pode ultrapassar o patrimônio do devedor. por óbvio. o credor da prestação dele constante poderá fazer uso do procedimento do cumprimento de sentença para obter a satisfação de seu crédito. Princípio do contraditório: Princípio da disponibilidade da Execução: 10. Quais os princípios da execução? Escolha três e explique-os. Se ausentes essas características.Liquidez: quando se determina a quantidade. alegar a nulidade da execução. foi conferida maior celeridade e economia processual na busca pela eficácia do julgado condenatório.

13. . Em que consiste a penhora? A penhora é o primeiro ato executório praticado no cumprimento de sentença ou execução por quantia certa. custas e honorários advocatícios. Caso devedor deseje insurgir-se contra o montante exigido pelo credor. quando. Como o dispositivo prevê que a impugnação é oferecida posteriormente à lavratura do auto de penhora e avaliação. Salientou-se também que a impugnação ofertada pelo devedor não será apreciada antes do bloqueio de valores do executado que. através do qual se apreende ou se tomam os bens do devedor. R: é a alienação ou oneração de bens: quando sobre eles pender ação fundada em direito real. deve promover o respectivo depósito. 12. emitido por um juiz e promovido por um oficial de justiça. § 1º. juros. eventualmente. deve incidir em tantos bens quantos bastem para o pagamento do principal atualizado. ao tempo da alienação ou oneração. Consiste em um ato judicial. Por isso. As alienações e onerações efetuadas após a averbação serão presumidas fraude à execução. Se o bem for alienado ou gravado com ônus real em fraude de execução ficará sujeito à execução. como forma de garantir o juízo. Relate o que entende por fraude à execução. 475-J. O que significa dizer “garantia do Juízo”? A garantia do juízo é pressuposto para o processamento da impugnação ao cumprimento de sentença (art. nos demais casos expressos em lei. deixar de indicar bens à penhora. do CPC). corria contra o devedor demanda capaz de reduzi-lo à insolvência. para que nele se cumpra o pagamento da dívida.11. concluiu-se pela exigência de garantia do juízo.